Visite o site www.dbtlab.com.br

A Terapia Comportamental Dialética (DBT) é um tratamento cientificamente comprovado para pessoas com sofrimento psicológico intenso e múltiplos diagnósticos psiquiátricos que, muitas vezes, são vistas por psicólogos e psiquiatras como intratáveis e incuráveis.
Tipicamente, terapeutas DBT são profissionais altamente qualificados e, naturalmente, cobram um valor à altura de sua formação, o que inviabiliza o acesso a esse tratamento por inúmeras pessoas que o necessitam. Em vista disso, o Laboratório de Terapia Comportamental Dialética (DBT-LAB) tem por objetivo oferecer DBT gratuitamente a quem não pode pagar por ela.


Equipe
Liane Dahás - Coordenadora Geral
Josy de Souza Moriyama - Coordenadora Londrina
Danielle Mayall - Coordenadora de Pesquisa

Ana Jô Jennings Moraes - Terapeuta Voluntária
Beatriz Passos Guimarães - Terapeuta Voluntária
Bia Alckmin - Terapeuta Voluntária e Treinadora de Habilidades DBT
Clarissa Pereira - Coordenadora de Formação de Novos Voluntários
Dennys Oliveira - Terapeuta Voluntário
Fellipe Augusto de Lima Souza - Coordenador de Formação de Novos Voluntários
Flávia Segóvia Badra - Terapeuta Voluntária
Jan Luiz Leonardi - Conselheiro Fundador
Julia Horta Egito - Terapeuta Voluntária e Pesquisadora
Dan Josua - Pesquisador
Marília Barban - Coordenadora do Acolhimento de Familiares


Projeto de Pesquisa:
Prática Baseada em Evidências em Psicologia Clínica e o Desenvolvimento das Terapias Comportamentais
Coordenador: Jan Luiz Leonardi

Paradigma Centro de Ciências e Tecnologia do Comportamento
O surgimento da Prática Baseada em Evidências em Psicologia, definida pela American Psychological Association como o processo individualizado de tomada de decisão clínica que ocorre por meio da integração da melhor evidência disponível com a perícia clínica no contexto das características, cultura e preferências do cliente, representou um dos mais importantes avanços para a avaliação, tratamento e prevenção de problemas de saúde mental. Nesse contexto, as Terapias Comportamentais receberam destaque, uma vez que sua eficácia vem sendo amplamente demonstrada em pesquisa experimentais. Contudo, tanto no Brasil quanto no resto do mundo, existe uma grande diversidade de modelos de Terapia Comportamental, de modo que, muitas vezes, não há qualquer afinidade teórica, metodológica e prática entre eles, o que costuma gerar confusão quanto à sua identidade. Além disso, uma das maiores limitações da Psicologia Baseada em Evidências é o enfoque em utilizar rigidamente protocolos padronizados de intervenção para diagnósticos psiquiátricos específicos. Mais recentemente, duas propostas – a “Terapia Baseada em Processos” e a chamada “Quarta Onda da Terapia Comportamental” – vêm criticando o uso de tais protocolos e repensando como reorganizar a prática clínica a partir do uso de procedimentos empiricamente sustentados de forma mais flexível e das particularidades (diagnosticáveis ou não) de cada cliente. Nesse contexto, o presente projeto de pesquisa tem por objetivo investigar os aspectos teóricos, metodológicos e práticos dos diferentes modelos de Terapia Comportamental e das propostas da “Terapia Baseada em Processos” e da “Quarta Onda da Terapia Comportamental”. Espera-se, assim, contribuir tanto para a validação teórico-conceitual quanto para a sustentação empírica de procedimentos de intervenção que possam orientar a prática profissional do psicólogo clínico e, assim, contribuir para o desenvolvimento da Análise do Comportamento como ciência e profissão e para o fortalecimento da Prática Baseada em Evidências em Psicologia